|| Blog do Julio ||

Os números de 2010

Posted in Internê, Whatever... by Julio Dias on 05/01/2011

Os duendes das estatísticas do WordPress.com analisaram o desempenho deste blog em 2010 e apresentam-lhe aqui um resumo de alto nível da saúde do seu blog:

Healthy blog!

O Blog-Health-o-Meter™ indica: Este blog é fantástico!.

Números apetitosos

Imagem de destaque

Um Boeing 747-400 transporta 416 passageiros. Este blog foi visitado cerca de 4,800 vezes em 2010. Ou seja, cerca de 12 747s cheios.

 

In 2010, there were 28 new posts, growing the total archive of this blog to 112 posts. Fez upload de 8 imagens, ocupando um total de 1mb.

The busiest day of the year was 18 de agosto with 50 views. The most popular post that day was A Evolução da TV.

De onde vieram?

Os sites que mais tráfego lhe enviaram em 2010 foram blog.zoomoo.com.br, pt-br.wordpress.com, google.com.br, alphainventions.com e twitter.com

Alguns visitantes vieram dos motores de busca, sobretudo por maria gadú, maria gadu, onde vivem os monstros, mussum e mito da caverna

Atracções em 2010

Estes são os artigos e páginas mais visitados em 2010.

1

A Evolução da TV junho, 2009

2

Maria Gadú agosto, 2009
3 comentários

3

A Evolução do Rock n’ Roll agosto, 2009

4

As Crônicas de Mauricio de Sousa janeiro, 2010

5

A Gula de Danilo agosto, 2009
4 comentários

Tagged with:

You Might Die Trying

Posted in Música, Vídeos, Whatever... by Julio Dias on 16/01/2010

Os Anos Novos vem e vão. E Costumam, inevitavelmente, se iniciar com muitas promessas e esperanças. Sem perceber você acaba fazendo aquela auto-analise sobre sua própria vida: o que fez e gostaria de fazer, nos erros e acertos. Geralmente essa retrospectiva pessoal é sempre meio negativa, pelo menos para mim. Apesar de sempre me cobrar as mudanças que pensava e não realizava de fato,  não ligava muito por não cumpri-las.

Nesse Ano Novo – o tal 2010 – decidi que teria uma postura mais positiva em relação a certas coisas que acontecem nessa vida… ou morrer tentando.

Coletivo

Posted in Filosofia, Whatever... by Julio Dias on 06/12/2009

Viver numa cidade grande tem seu bônus e ônus. A facilidade de encontrar praticamente tudo que se precise a qualquer hora não tem preço. Isso é um fato inquestionável. Contudo, em troca disso você paga um preço, que pode ser alto caso você, definitivamente, não esteja disposto a conviver com outrem.

Digo isso, pois em minha vasta convivencia em Transportes Coletivos – leia-se veículos com o dobro de sua capacidade de pessoas expremendo-se como gado – pude ver muitas coisas diferentes. Afinal de contas, como não taxar de “diferente” a experiência de presenciar duas mulheres saindo no tapa, puxando os cabelos uma da outra por causa daquele fatidico empura-empura do ônibus?

Pois é, existem pessoas muito diferentes nesses  meios de transportes; diferentes mesmo. O que me impressiona é observar nesses tempos da tecnologia movel, com aparelhos rechados de Gadgets super “prafrentex” com diversos recursos supimpas como cameras de vídeo, GPS,  reprodutores de .mp3 e whatever, são raras as pessoas que utilizam os mesmos com fones de ouvido; que provavelmente é uma peça opcional, que não acompanha o produto… só poder ser.

Penso que isso seja simplesmente o reflexo do estágio que a humanidade se encontra atualmente; vivemos nos bons tempos do compartilhamento! É a WEB 2.0 invadindo seus ouvidos: todos querem compartilhar em alto e bom som as músicas que mais gostam! Bacana, não?

O mais engraçado desse fenômeno é que nunca escutamos uma músiquinha sequer que gostamos. Mas deixemos essa coisa de funk proibidão para outra hora. O que eu quero registrar nessas linhas caro leitor,  é que caso alguem esteja ouvindo música no celular num volume alto e o Cobrador/Trocador – que supostamente é o arauto da empresa, responsavel por zelar pelo coletivo – chama a atenção dessa “pessoa diferente 2.0” não para pedir-lhe para desligar/abaixar o volume de seu aparelho, mas sim pedir que lhe passe a música via Bluetooth, há algo diferente acontecendo. Sim, não duvide disso.

Poderia citar outras mazelas do cotidiano dos coletivos, como “pessoas diferentes” que insistem em deixar os vidros fechados em dias de chuva, “pessoas diferentes” que não dão preferência a idosos nos acentos reservados e até “pessoas diferentes” com mais idade, que não respeitam quem esta disposto a lhe dar preferência no bendito banco, pois só estavam sentados por estar vago antes de sua chegada, mas alongaria demais esse tópico.

Enfim, são “N” exemplos que poderia descrever,  no entanto, é fácil resumir o que escrevi numa linha só: As “Pessoas diferentes” não são tão diferentes assim; são indiferentes mesmo.

Somos Contraditorios

Posted in Filosofia, Whatever... by Julio Dias on 08/11/2009

Diante de minha total falta de vontade  em fazer o bendito Exame Nacional de Desempenho de Estudantes, vulgo ENADE, e perceber que não somente eu, mas muitos desfrutavam desse mesmo desanimo, pude ver como somos contraditórios! É engraçado se perceber tão idiota assim.

Um fator que influencia muito na tão dificil escolha de qual Instituição de Ensino Superior cursar é a tal “Nota do MEC”. Muitos optam por se matricular no Curso melhor classificado no campeonatinho do Ministério de Educação, porque sua formação – em tese –  será melhor do que seria numa Instituição com o conceito inferior. O ENADE, como o próprio nome já diz,  não é  nada mais do que um dos instrumentos para se medir o desempenho dos alunos e, consequentemente, conceituar o Curso dos mesmos.

Má vontade para fazer esse Exame parece meio contraditório, isto é, procuramos estudar nos lugares bem conceituados, no entanto, não estamos nem um pouco interessados em “ajudar” a construir essse conceito. Engraçado, não?

Postergar

Posted in Whatever... by Julio Dias on 09/09/2009

PROCRASTINAÇÃO

O hábito de Postergar, talvez,  seja o nosso brazilian way. Um jeitinho, uma mania, um vício, uma  religião ou quem sabe uma influência maligna? Pois é, quem nunca deixou algo para ser resolvido na última hora? Quem nunca pagou alguma conta no dia do vencimento, por pura preguiça de acabar com a pendência antes?

Infelizmente, sou usuário deste “mal”: Sofro tanto disso, que gostaria de escrever a respeito, mas, obviamente, vou deixar isso para depois. Entretanto, deixo aqui o link de um texto muito bacana escrito pelo Alexandre Inagaki, acerca da Procrastinação.